Buscar
  • Agencia X10

A Anatomia de uma Câmara Fria, veja com a Equipe A


Utilizadas em grandes ou pequenas indústrias alimentícias, agropecuárias ou farmacêuticas, as câmaras frias são indispensáveis para a conservação dos produtos e evitam a proliferação de agentes ou bactérias que podem comprometer a vida útil dos conteúdos armazenados. Para que isto ocorra, ela mantém baixas temperaturas em seu interior, contribuindo para a conservação, de acordo com o tipo de conteúdo, e para que isso é necessário que todos os componentes estejam operando de forma correta. Quer entender melhor a anatomia de uma câmara fria? Então acompanhe o texto:

Afinal, o que é uma Câmara Fria? A câmara fria, ou frigorífica é uma ferramenta projetada de forma personalizada para otimizar o armazenamento refrigerado de produtos com temperaturas específicas, onde as câmaras de refrigeração alcançam de 0°C a 18°C e câmaras de congelamento alcançam temperaturas abaixo de 0° C, assegurando qualidade e eficiência do processo de armazenamento de produtos em supermercados, distribuidoras, etc. Ela preserva alimentação em sua qualidade de consumo, assim como também medicamentos, flores, ou até mesmo outros tipos de produtos que necessitam manter uma forma específica, como o gelo e o sorvete, por exemplo.

Como é o funcionamento de uma Câmara Fria? Para o aperfeiçoamento das técnicas dos profissionais que lidam com ela diariamente, é necessário conhecer o funcionamento da câmara. Neste caso, têm-se a entender que a noção básica que se deve ter é que este processo de refrigeração dentro da câmara se baseia na redução de temperatura do produto realizada por meio de transferência de calor, de dentro para fora da câmara. Isso é possível graças à ação do fluido refrigerante que irá circular e agir como veículo para troca de temperatura entre o ambiente interno e o externo. Além do fluído refrigerante, existe alguns tipo de componentes que também são utilizados na composição do sistema, veja eles a seguir:

Compressor: Ele é responsável por aspirar o ar que está superaquecido do evaporador e comprimido para o condensador, voltando ao estado líquido. Com a sua ação acontece o aumento da temperatura do gás. Evaporador: Tem a função de acumular o gás líquido que virá do condensador. Ao remover o calor do ar, o fluido refrigerante irá evaporar e a pressão será mantida. Condensador: Ele possui a função de absorver o calor do gás refrigerante, que irá evaporar no evaporador, condensado mais tarde. A sua estrutura é feita por serpentinas, tubos e o fluído refrigerante. Ventiladores: Eles atuam como segurança para manter a ventilação interna da câmara fria. Eles aspiram o ar refrigerado e o distribuem para resfriar todo o ambiente.

Qual relação destes componentes para o funcionamento do sistema? Será realizado um ciclo de resfriamento, onde o termostato servirá para determinar uma certa temperatura em seu interior. Os ventiladores da Unidade condensadora irão sugar o ar para dentro e sobre as bobinas do condensador. Dentro das bobinas, o líquido de arrefecimento irá puxar o calor que passa pela parte superior fazendo com que o ar refrigerado continue se movendo para fora da parte traseira da câmara, com a temperatura reduzida. Os ventiladores continuarão soprando ar na direção do condensador, e a temperatura do ar irá diminuir dentro da cabine, até que o nível se alinhe com a temperatura alinhada no termostato. Quando o termostato identificar a temperatura acima do ideal, o condensador novamente é acionado para que se reinicie o ciclo de resfriamento. Onde os ventiladores sugam o ar para o condensador e o fluído refrigerante retira todo o seu calor. De acordo com o seu projeto, a câmara fria irá atingir uma temperatura específica e também os tipos de equipamentos poderão alternar.


Fonte: Multifrio

4 visualizações0 comentário